sábado, 13 de dezembro de 2008

E.T. Telefone minha Casa!

E.T. solidário, sustentável, inclusivo e carbono zero

Como eu havia prometido num texto anterior, vamos agora discorrer sobre visitas alienígenas ao planetinha azul.

Primeiramente estabelece-se que opiniões são diferentes de fatos. Eu sei que isso parece meio óbvio, mas é absolutamente irritante a quantidade de pessoas que confunde as duas coisas em uma discussão.

Em segundo lugar, "na prática, a teoria é outra" é uma frase muito engraçadinha de se dizer, mas só serve como piada, mesmo. Quem prestou atenção na aulinha sobre método científico na quarta série primária (ou seria terceira?) sabe que a teoria é uma hipótese validada por experimentação, ou seja, pela prática.

Não sei se o que disse acima terá qualquer utilidade para esse texto, mas continuemos.

A Terra está no subúrbio da Via Láctea. Esta galáxia, por si só, já é toda bem comportada, em espiral e tudo o mais... Não está se chocando com nenhuma outra, entre inúmeras outras vantagens. A localização de nosso planeta longe do centro nos trás uma série de benefícios... Longe de toda a confusão de energias e "acidentes" cósmicos que ocorrem mais ao centro (poxa, no meio da Via Láctea tem um buraco negro com uma massa sei lá quantos milhões de vezes maior que a do Sol!) pudemos nos desenvolver em relativa paz (fora uma ou outra colisão com outros corpos celestes, coisa boba - não há nenhum dinossauro aqui para discordar de mim, mesmo).

Claro que ter uma boa vizinhança, por si só, não é o suficiente (sem falar de nosso bom posicionamento com relação ao Sol). Temos também água, moleculazinha simples, porém bizarra, cheia de propriedades interessantes, e o tal do carbono, elemento químico limpinho e cheiroso, bonitinho, levinho (só tem 6 prótons - a quantidade de nêutrons varia, claro) e o melhor de tudo, tetravalente.

Não é só o ser humano que é preguiçoso; toda a natureza o é. Tudo o que é feito é feito seguindo a lei do menor esforço... Como a água, sempre procurando ficar em locais de menor energia potencial e tal... Por isso que a vida se baseia nesses compostos químicos mais "simples"... Ou alguém acha que a vida iria surgir a partir de elementos químicos que tem sua meia-vida medida em nanossegundos?

Mas, mais uma vez, só isso não é o suficiente para permitir o surgimento da vida... Talvez sirva para coisas muitíssimo simples, mas não para organismos com um pouco mais de complexidade.

Tomando a Terra como exemplo, aqui, a vida só foi possível devido à presença de nossa Lua. Esse satélite serve para dar estabilidade à nossa rotação. Sem ele, nosso planeta ficaria rodando que nem louco, isto é, seu eixo de rotação ficaria mudando o tempo todo, freneticamente... Nem sei dizer se ainda teríamos um eixo, na verdade... Com isso, nosso clima sofreria tantas e tão intensas variações (ao longo do dia, mesmo), que seria impossível para um organismo vivo se desenvolver!

Esse tal de Universo não é um lugar muito confortável, mas a vista é boa

Para vocês terem uma idéia, mesmo com a Lua, pequeniníssimas variações em nosso eixo de rotação, e algumas outras em nossa translação, provocam eras glaciais! O Homo Sapiens está aí já a 276 mil anos (essa foi a última informação que tive), mas devido aos problemas climáticos, só conseguimos desenvolver nossa "civilização" há uns 7 mil anos (os Sumérios são sinistros!), e isso uns 3 mil anos depois que o clima e estabilizou de vez (levando-se aqui em conta o Jovem Dryas). Ah, sim: claro que esses valores não estão exatos... Coloquem aí uma margem de erro de mil anos que fica tudo certo.

Assim sendo, obrigado, Lua! Ah, sim: nosso satélite está se afastando da Terra; quero só ver como vai ser quando ele se mandar de vez, daqui a muitos e muitos milhões de anos (ou um bilhão e um pouquinho, será?)! Pior vai ser se isso avacalhar de vez com o ciclo menstrual feminino, deixando as mulheres de TPM eterna! Isso, sim, será o juízo final!

Mas chega de divagar (por hora).

Foram todas essas raras particularidades que permitiram o surgimento de vida na Terra. Ou seja, a probabilidade de se surgir vida em algum lugar é ínfima... Vida inteligente, então... Porém, o universo é gigantesco... Então, levando-se em conta termos absolutos, deve, sim, haver vida em outros planetas, talvez até mesmo vida inteligente...

Porém, daí a assumir que tal vida inteligente conseguiu se desenvolver a ponto de ter tecnologia para cruzar o cosmo, é outra história...

Mas não tem problema. Vamos aqui assumir que tal civilização existe em algum canto do universo. A verdadeira questão é: como tal civilização poderia saber que nós estamos aqui, para resolverem vir nos visitar (e viajando mais rápido que a luz, dando uma rasteira nas Leis da Física - ou não)?

Acima, eu descrevi fatos. E, com base neles, sou da opinião de que E.T.s não nos visitam, simplesmente por não terem como saber que aqui estamos. Opinião essa formada com base em um raciocínio lógico (ou seja, não houve validação prática nenhuma, claro).

Vejam só a quantidade ínfima de planetas ou satélites que conhecemos que tem um mínimo de similaridade com o nosso mundo a ponto de podermos considerar que lá surgiu algum tipo de vida. Uma civilização mais avançada poderia ter os recursos para achar um número maior de planetas mas, considerando-se o tamanho do universo, qual a probabilidade de achar o nosso? E, mesmo tendo achado, o que os faria vir aqui, tendo tantas outras opções?

Nós somos extremamente insignificantes, ainda mais em escala cósmica. Não provocamos alterações gravitacionais, e com relação às Forças Forte e Fraca, nem preciso falar... O único sinal que enviamos ao espaço, de modo a alguém saber que estamos aqui, para virem nos encontrar, são ondas eletromagnéticas... Porém, tudo na vida varia com o quadrado da distância (hehehehe...), e a potência dessas ondas não é excessão... Assim sendo, o que chega de nossas transmissões a esses outros planetas que poderiam abrigar vida é absolutamente nada. E a esses mais longuínquos, que não somos nem mesmo capazes de saber que estão lá, é nada sobre o número que você quiser (números reais positivos, por favor)...

Então, sinto muito, mas E.T.s não vêm aqui nos visitar. Eles não são pixadores de viaduto cósmicos, sem ter o que fazer, entediados a ponto de ficar avacalhando plantações de trigo por aí (sendo que já foi mostrado que seres humanos conseguem, sim, fazer "rapidamente" aqueles desenhos, mas as pessoas preferem acreditar que é uma espécie de graffiti alienígena)...

"Segundo grau completo em seis meses sem freqüentar aulas", em linguagem alienígena

Como no outro post, "eu quero acreditar"... Seria o máximo, em termos de avanços científicos, conversar e aprender com gente que passeia pelo universo como quem vai ao supermercado (como fazer para "dar a volta" na limitação física de a maior velocidade possível ser a da luz, por exemplo?). Ter liberdade para vagar pela imensidão do espaço, "onde nenhum homem jamais esteve", e poder voltar e contar o que viu, não a descendentes distantes, mas a seus amigos e familiares, mesmo, como se faz quando se volta de uma viagem qualquer...

Se bem que, considerando a raça humana, nós seríamos como os aliens de "Independance Day": seríamos um câncer cósmico, vagando de planeta em planeta, consumindo os seus recursos à exaustão, e então partindo para o próximo...

É melhor evoluírmos um pouco mais como espécie (ah, que piada...) antes de atingirmos tamanho conhecimento tecnológico...

Pronto, agora chega. No próximo post, retomaremos nossa programação normal. Como se houvesse uma...

Vida longa e próspera.

7 comentários:

Jiroumaru disse...

Eu concordo em parte com você. Acho que a maior prova de que existe vida inteligente no espaço é o fato de não fazerem contato com a gente.

ghfdc disse...

Só o que eu quis dizer com esse texto gigantesco é que nós não deixamos nenhum tipo de sinal no espaço, de modo que não tem como qualquer raça alienígena saber que nós estamos aqui, e portanto eles não viriam nos visitar...

Mas, realmente, eu quase sempre chego a duvidar da existência de vida inteligente na Terra... Tirando os golfinhos e, é claro, os ratos.

Lila Yuki disse...

Acho que a maior prova de que existe vida inteligente no espaço é o fato de não fazerem contato com a gente. [2]

Jiroumaru disse...

Sobre não deixarmos nenhum tipo de sinal, a NASA lançou duas sondas voyager que tinham como grande propósito disseminar a cultura da Terra. São apenas dois sinais ínfimos, mas são algo.

ghfdc disse...

Eu sei disso... Mas desconsiderei pelo fato de elas se moverem pelo espaço a velocidades ínfimas se comparadas à da luz... Logo, ainda não houve tempo de chegarem a qualquer lugar que pudesse ser minimamente interessante, caso se considere o propósito delas...

Juliana disse...

Eles poderiam chegar aqui por coincidência, sabe-se lá, no caminho de um outro planeta que valha mais a atenção deles =P
Adorei a legenda da pixação na colheita =D

ghfdc disse...

Tudo bem, moça, mas seria realmente uma "coincidência extrema", não?

E, como a probabilidade de isso acontecer tende a zero com muitas casas decimais...

Sobre a legenda, deu trabalho traduzir o que estava na colheita... Quase confundi com "Só Jesus expulsa demônios extraterrestres das pessoas", ou "Mãe Fulana traz o alienígena amado em 3 dias"... Hehehehe...