domingo, 1 de novembro de 2009

Filosofia de Botequim




O vídeo acima é assustador. Da mesma forma como qualquer outra iniciativa que vise cercear a livre produção e circulação de idéias.


Não sei nem começar a dimensionar o tamanho do absurdo. A fé dessas pessoas deve ser mesmo muito fraca, já que eles tentam a todo custo protegê-la de qualquer tipo de crítica, como se qualquer tipo de questionamento lógico fosse colocá-la em xeque...

Pensando bem, eles tem razão: qualquer tipo de questionamento racional coloca qualquer tipo de religião em xeque...

É... Tem gente que vai ter que "ficar esperta" na Inglaterra, caso contrário pode (algum dia) acabar tendo um rebento religioso...

Já o vídeo abaixo...



Magnífico! Pode ser longo (mais de uma hora de duração), mas eu recomendo fortemente que assistam!

Com curvatura nula, o universo pode, sim, ter surgido literalmente do nada, por conta de flutuações quânticas!

É deprimente a forma como perdemos tempo nos iludindo, vivendo e brigando por conta de amigos imaginários, que só atrasam o desenvolvimento da sociedade e da ciência, enquanto há tanta coisa lá fora para se descobrir, estudar, conhecer...

Imagino que as pessoas achem suas vidinhas muito monótonas, e por conta disso tentem se agarrar em coisas que julgam fantásticas, como por exemplo aparições da Nossa Senhora do Veja Multiuso (haja pareidolia), após alguém ter limpado uma janela, só para se livrarem da mesmice... Só que essas pessoas não percebem que a natureza já é muito mais fantástica do que qualquer coisa que suas mentes podem conceber, não havendo portanto a necessidade de qualquer invenção (estou aqui me referindo à invenção de mentiras, e não a qualquer tipo de cerceamento à criatividade - exceto, é claro, no caso de "arte moderna"...).

O que é mais impressionante, histórias sobre alguém multiplicando pães (a Monsanto faz isso com transgênicos - não estou aqui defendendo o seu consumo), ou outro alguém analfabeto voando num pégaso (nosso presidente voa no aerolula), ou o fato de os átomos que nos compõem terem sido formados através de fusão nuclear há bilhões de anos, em explosões estelares (e provavelmente de estrelas diferentes, absurdamente distantes umas das outras)?

Particularmente, fico maravilhado com isso...

Uma pena que a maioria das pessoas não concorde comigo... Lembrando agora, ao longo dos anos, "nunca na história deste país" alguma garota para quem contei essa historinha das estrelas ligou para ela... O tédio na expressão delas sempre foi aparente, isso quando simplesmente não diziam que o assunto era chato, e o encerravam...

Pensando bem, onde eu estava com a cabeça quando começava a falar sobre esse tipo de coisa? Mas há tempos aprendi minha lição. Se bem que não era eu quem "começava"; alguma coisa desviava o assunto nessa direção (pelo menos, na minha cabeça)... Mas tanto faz. Fugi do assunto deste post. Mas isso também não importa, pois eu já o encerrei.

Mais uma vez, copiei os vídeos do Portal Ateu.

6 comentários:

Jiroumaru disse...

É que nem aquela frase: "A maldade está nos olhos de quem vê." Se as pessoas fossem tão seguras assim de suas convicções e credos, toda e qualquer discussão sobre religião e fé seria desnecessária. No fim a religião deveria ser uma mensagem, um guia, um legado de uma filosofia, e tudo o que se tornou foi uma venda que cega o pensamento das pessoas.

ghfdc disse...

Eu não acho que a discussão se tornaria de forma alguma desnecessária, pelo seguinte: a religião, sendo uma hipótese para a criação do mundo natural, está sujeita a críticas. Se fosse diferente, não poderia nem mesmo ser considerada como uma hipótese, e deveria ser descartada como um todo.

A menos, é claro, que simplesmente se considere seus aspectos mitológicos como uma forma de se ajudar a conhecer a humanidade no momento em que esta formulou determinada religião (como, hoje, se faz com a mitologia greco-romana, ou a nórdica).

A religião foi inventada como uma maneira de se suprir a necessidade humana por causalidade na qual, não sabendo respostas para as suas perguntas, a humanidade simplesmente as inventava. Foi, então, usada como instrumento de agregação social, e rapidamente transformada em instrumento de controle social.

Seu "tempo de ser" já deveria ter passado...

"A fé não nos dá as respostas, só nos impede de fazer as perguntas".

Jiroumaru disse...

Sim, concordo, mas quando digo que as discussões se tornariam desnecessárias, me refiro às discussões idiotas, tipo as de crianças de 5 anos que dizem "meu pai é maior que o seu", e para esses religiosos seriam "meu amigo imaginário é melhor que o seu".
Sobre ser completamente desnecessária, concordo que seria no ambito de explicar e guiar ideologicamente/politicamente as pessoas, mas como você mencionou pode ser um instrumento de agregação pessoal. Assim como uma fábula pode ser divertida ou educativa, as histórias sobre os "amigos imaginários" podem ser sim benéficas, se tratadas apenas como histórias de "amigos imaginários". Mas parando pra pensar agora, se as pessoas fossem capazes de fazer esta distinção, não haveriam todos os problemas já citados nessa discussão... então deixa pra lá.

ghfdc disse...

Hahahahaha... Tá certo...

"Na verdade, na verdade, você é quase tão ateu quanto eu. Eu só "acredito" em um deus a menos que você. Assim que você entender o porque de você não acreditar em todos os outros deuses, vai entender o porque de eu não acreditar no seu."...

Hehehehe...

Juliana disse...

Esse vídeo é fantástico!!!!! Realmente! Como ele faz a matéria escura parecer algo relativamente simples de se aceitar? =) E como ele faz parecer que a aceleração da expansão do universo é tão óbvia e naturalmente explicável?
Uma coisa qmue e intrigou - ele mesmo provou que em 100 bilhões de anos, as galáxias já vão estar se afastando acima da velocidade da luz, então não haverá mais indícios de big bang, de aceleração, de energia escura, de radiação de fundo, nada disso. Então como a gente pode ter tanta certeza que que algum fenômeno parecido já não faz com que as nossas evidências atuais sejam distorcidas? Enfim, é demais para mim pensar sobre isso.
E, de novo, não acho que nada disso
seja contra a religiosidade. Algumas coisas eu acho que simplesmente estão muito além da compreensão da humanidade. A própria matéria escura e a energia escura, por exemplo. =P

ghfdc disse...

Muita coisa que antes estava além da compreensão da humanidade hoje em dia não está mais...

Já desenvolvemos detectores de matéria escura, e eles estão operando aqui mesmo, na Terra (não sei se já pegaram alguma coisa)...

Eu acho que é tudo questão de tempo... Por isso que me incomoda ver a raça humana perdendo-o...

Me lembro de um pequeno texto do Da Vinci em que ele escreveu que "o Homem iria voar"; que infelizmente poderia não ser no tempo dele, mas que ele sabia que um dia conseguiríamos (eu achei o texto bem melancólico e ao mesmo tempo esperançoso, pena que nunca mais consegui encontrá-lo)...

Eu me sinto da mesma forma... Queria muito que a raça humana não se aniquilasse e fosse capaz de sobreviver até o derradeiro momento do universo (seria uma espécie de "vitória moral")... Mas não tenho tanta esperança quanto o Leonardo...

Sobre a religiosidade, o vídeo, no caso, faz uma "oposição genérica"... O budismo "de raíz", por exemplo, é uma religião ateísta... No caso, a oposição desse vídeo se dá com relação ao argumento de determinados religiosos (ou grupos religiosos) de que "o universo existe, e ele não pode ter surgido do nada, logo, deus tem que existir"... No caso, o vídeo mostra que o universo pode, sim, ter surgido do nada (e eu achei isso fantástico; fiquei com vontade de estudar física de novo!)...

E, sobre a questão das "evidências distorcidas", creio que a única resposta honesta seja: sei lá!

Eu também tinha pensado nisso, mas "chutei" que, probabilisticamente, pela "pouca idade" do universo, ainda não teria dado tempo de algo assim ter acontecido (veja só as escalas de tempo a que o físico se refere quando ele dá esse exemplo)... Mas é claro que eu não sei fazer essa conta e, além disso, mais uma vez, seria uma questão de probabilidade, não de possibilidade...