segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Prioridades


Outro dia desses, meu irmãozinho me ligou para animadamente relatar que estava pulando na piscina com um balde na cabeça.

De fato, imagino que sua mente de 5 anos deve ter achado revolucionário, o conceito, a ponto de ele ter que me telefonar na hora para contar... Claro que o mais importante de tudo era que ele estava se divertindo extremamente!

Realmente, o que poderia ser mais divertido do que mergulhar usando um balde na cabeça?

Somos insignificantes. Num universo composto de (aproximadamente) 30% de matéria escura e 70% de energia escura, somos apenas margem de erro. Tudo aquilo de aprendemos nas aulinhas de química do segundo grau é irrelevante, sob esse ponto de vista.

Somos um acidente resultado de um outro acidente ainda maior. A vida é uma grande coincidência. E, ao morrermos, desaparecemos; somos apagados da existência. E sermos lembrados também é algo um tanto quanto inútil, em um universo destinado a, como qualquer outra coisa, "morrer", algum dia.

Não existe um propósito maior. O propósito é nossa responsabilidade, exclusivamente. Nossa escolha. E isso é assustador. E perdemos tempo precioso nos enganando e brigando por conta de inutilidades. Nos privando e tentando privar outros da liberdade.

Perdemos o pouco tempo que temos complicando o mundo, desnecessariamente. Não sabemos priorizar adequadamente os diversos aspectos de nossas vidas.

Mesmo assim, ainda podemos pular na piscina com baldes em nossas cabeças.

As pessoas deveriam fazer isso.

P.S.1: Menos eu. Nada de baldes na minha cabeça.

P.S.2: Se, no processo, aqueles dentre nós que são imbecis ficassem com os baldes presos em suas cabeças e, melhor ainda, se afogassem, maravilha!

Hehehehe... "Quebrei o clima" do texto...

3 comentários:

Jiroumaru disse...

Carpe Diem, Carpe Diem...


(Agora eu imaginei um desenho bem tosco: "As férias na piscina de Galactus e sua turma!!!")

ghfdc disse...

O Galactus seria meio como aquela criança chata, "dona da bola"?

"Se vocês não brincarem comigo, do jeito que eu quero, vou comer o seu planeta!"... Hahahahaha...

Realmente, seria muito tosco, um Galactus de sunguinha, mas ainda assim com o capacete! Hahahahaha...

Sério, nem devorando planetas uma figura dessas imporia respeito... Hehehehe...

Juliana disse...

Realmente, o texto estava tão belo, tão filosófico, você quebrou completamente o clima no final =P
É muito bom ser criança e imaginar que pular na piscina com o balde na cabeça é importante.
E prioridades por prioridades, já que nós somos mesmo um acidente, acho que estamos destinados a viver a vida cometendo nossos erros. Fazer o que?